Imprima o conteúdo

ENFERMAGEM NA SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: UMA DISCIPLINA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI

 

Autor: Alisson Araújo

Instituição: Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

UF: MG

Email: araujoalisson@zipmail.com.br

Categoria: Outros

 

Resumo

 

Introdução: O Curso de Graduação em Enfermagem

da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e

Mucuri, em Diamantina/MG, tem em sua grade

curricular a disciplina Enfermagem na Saúde da

Criança e do Adolescente que visa à capacitação do

acadêmico no cuidado de enfermagem e saúde a

crianças e adolescentes.

 

Objetivos: Este trabalho busca descrever a

experiência do ensino em Enfermagem na Saúde da

Criança e do Adolescente da UFVJM.

 

Método:O conteúdo articula teoria e prática

abordando os seguintes assuntos relacionados à

criança e ao adolescente: políticas públicas,

crescimento e desenvolvimento, exame clínico,

alimentação, vacinação e também as principais

doenças e situações de risco nestas fases do ciclo de

vida. Tem como objetivo capacitar o acadêmico na

prestação de assistência de enfermagem a crianças e

adolescentes, em nível individual e coletivo. Esta

assistência acontece não só nos serviços públicos de

saúde em nível primário e secundário (unidades

básicas de saúde e hospitais) do SUS - Sistema

Único de Saúde, como também em creche

comunitária e escola pública. Nos campos de prática,

a consulta de enfermagem e o atendimento em

grupo, são meios importantes para o assistir em

enfermagem.

 

Resultados: O acadêmico vivencia nestes campos um

processo dinâmico, percebendo importantes

características do processo saúde-doença de crianças

e adolescentes. Embora os desafios constantes pela

diversidade dos campos de prática, possibilitamos um

processo ensino-aprendizagem diante de problemas

mais prevalentes dos indivíduos desta faixa etária,

alicerçando ações curativas, preventivas e de

promoção da saúde.

 

Conclusão: Através da compreensão do processo

saúde-doença infanto-juvenil, a disciplina cria a

oportunidade de aprender uma prática de

enfermagem mais crítica, reflexiva e racionalizada,

diante de eventuais limitações encontradas no SUS.

Desta forma serviços de saúde, família, escola, creche

e as próprias crianças e adolescentes tornam-se

facilitadores na fundamentação de intervenções para

a melhora da qualidade de vida.